domingo, 17 de abril de 2011

prece de lume ao vento



O vento em burburinho pião
sem destino certo
roda no chão.

E os velhos
em rezas,
murmúrios
e, sal ao lume.

E o lume leão domado
em labareda e foguetório
desafiando o vento...

PM

2 comentários:

Leonardo B. disse...

[desfiada palavra, vento que se inventa prece de fogo, em fogo dentro do poema]

um imenso abraço, Petra

Leonardo B.

Anónimo disse...

Este abrigo tem janelas onde nem sequer há paredes... Apetece entrar, ficar e contemplar