quinta-feira, 14 de abril de 2011

Na madrugada


O canto do pássaro
não é palavra
é música.


O primeiro compositor
compôs em pássaro.


Em canto de pássaro
Wolfgang acompanha Manoel.


PM

3 comentários:

Eurico disse...

Ou seja, a poesia antecede a linguagem.
Mas foi belo modelar numa só frase as palavras Wolfgang e Manoel. Flautins (de barros) distintos: soaram-me uníssonos, como música... como estesia... como poesia...

Petra Maré disse...

Obrigada, Eurico, é uma honra lê-lo aqui.

Tuca Zamagna disse...

Abrigo de Ventos o quê, Petra!

Creche de Vendavais, Tornados, Furacões, isto sim!

Eu havia até decolado, confiante, na brisa gostosa (mas sonsa, sei agora) do post mais recente. Eis que, já "Na madrugada", sou atropelado por uma lufada certeira e inclemente:

"O primeiro compositor
compôs em pássaro."

Nocaute absoluto, mas ambíguo. Ou o sono pesado dos justos ou a insônia eterna dos injustamente condenados à perplexidade paralisante. A conferir, porque ainda não sei se estou ou se sou mesmo estátua.

Bom demais!

Um abraço