segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O ar que respiras



Sacode as nuvens que te poisam nos cabelos,
Sacode as aves que te levam o olhar,
Sacode os sonhos mais pesados do que as pedras.

Porque eu cheguei e é tempo de me veres,
Mesmo que os meus gestos te trespassem
De solidão e tu caias em poeira,
Mesmo que a minha voz queime o ar que tu respiras
E os teus olhos nunca mais possam olhar.

Sophia de M.B.A.

1 comentário:

Leonardo B. disse...

[Tão grande o mar de Sophia que cabe dentro, até, num pequeno pedaço de coração, um mar inteiro dentro da mão!]

um imenso abraço,

Leonardo B.