quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

...com imaginação...


"Sempre procurei esse amor que permanece depois do esgotamento do sexo, que recomeça depois do sexo ter atingido a miséria humana do seu grau zero, que se reinventa a partir da recordação do momento da entrega. O amor concreto, louco, azedo, cru, bárbaro que só os homens parecem saber fazer, sem velas nem rituais de lingerie, nada dessa parafrenália de bibelots inventada pelas mulheres para suprir a falta de imaginação a que a História as confinou.


Inês Pedrosa
A Eternidade e o Desejo
Dom Quixote

2 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Com imaginação faz-me lembrar Salvador Dali... não tanto Inês Pedrosa.
Maria

Petra Maré disse...

Bem... simplesmente, Dali é inconfundível.
Quanto à imaginação era para contrariar o texto...